Iluminemos o coração com a lâmpada acesa do amor, cada vez que a nossa palavra se dirija aos irmãos desencarnados ainda presos à turvação de consciência.

Lembremo-nos de que nós achamos à frente de enfermos, requisitando-nos compreensão e carinho.

Do livro "Nós e Vocês"
Psicografia de Artur Ferreira da Costa